Museu acusado de RACISMO após expor fotos de africanos comparados a animais. [Portal VozdoCLIENTE]

Museu acusado de RACISMO após expor fotos de africanos comparados a animais. Portal VozdoCLIENTE




Do site "Asian Correspondent":

Um museu de Wuhan (China) removeu algumas fotos de uma exposição controversa que provocou protestos e acusações de racismo na África.

A exposição intitulada "ISTO É A ÁFRICA" ??incluiu fotos tiradas pelo fotógrafo chinês Yu Huiping durante suas viagens no continente. Um segmento particular da exposição, intitulado "a aparência externa segue a realidade interna", apresentou uma dúzia de fotos de africanos emolduradas ao de animais com expressões similares.

"Isto é África" ??foi aberta no Museu Provincial de Hubei em 28 de setembro, pouco antes do feriado da Semana de Ouro, atraindo dezenas de milhares de visitantes. No entanto, o racismo subjacente das peças aparentemente não causou constrangimentos até que um estudante africano visitou o museu na semana passada e enviou um vídeo e fotos.

Esse vídeo rapidamente viralizou nas mídias sociais africanas e provocou indignação da comunidade africana em Wuhan.

Estudantes africanos queixaram-se sobre a exibição e pediram intervenção de suas embaixadas. A história chegou aos meios de comunicação internacionais e foi se espalhando.

Respondendo à controvérsia, o Museu Provincial de Hubei removeu as fotos ofensivas (que estavam programadas para permanecer até 17 de outubro), mas não emitiu uma desculpa.  Wang Yuejun, o curador responsável pela exposição, chamou as acusações de racismo contra a exposição "reações exageradas", insistindo que o museu não pretendia discriminar nenhuma cultura e não havia feito nada de errado.

Zodíaco chinês como defesa

Para demonstrar por que as fotos não eram racistas, Wang apontou para a própria maneira da China de associar seres humanos com animais através do zodíaco chinês, chamando o incidente apenas de um grande mal-entendido cultural.
"As fotos apenas exigem harmonia entre humanos e animais", disse ele.

Em outra declaração enviada à Quartz, Wang acrescentou: "A audiência principal da exposição é chinesa. Na estética chinesa, comparando pessoas com animais não é ofensivo".

Yu Huiping, vice-presidente da Associação de Fotógrafos do Hubei e presidente de uma empresa de construção local, visitou a África mais de 20 vezes na última década e diz que tem um profundo amor por suas pessoas e vida selvagem, promovendo a conservação de sua recursos naturais e beleza. Ele disse que suas fotos foram destinadas a dar aos visitantes uma sensação da "vida primitiva" na África e que mostra a harmonia dos seres humanos, dos animais e da natureza.

Alguns comentários de internautas:
- Não penso que sejam racistas. Apenas burra. Mas as reações de todos os envolvidos sugerem que o racismo foi um fator importante em suas decisões.
 
- Quando o oeste das intenções encontra o caminho da resistência leste ...

Propaganda Racista

Casos de racismo na China contra ocidentais, principalmente africanos não são incomuns. O mais famoso atualmente, disponível no vídeo anexdo a esta reportagem é de uma propaganda de detergente em que um homem negro é jogado dentro de uma máquina de lavar.



A princípio as imagens parecem não ter causado nenhum viés no povo chinês, até a visita de um estudante africano



Curta, comente e publique direto no Facebook

Mais lidas últimos 30 dias


Anúncios [573 - desktop]



Vídeos do Portal

Promoções







Mais ofertas!