Manobra ousada retorna IPTU de Contagem com vereadores deixando o cargo; confusão e revolta. A medida favorece muito o novo governo com entrada de caixa. [Portal VozdoCLIENTE]

Manobra ousada retorna IPTU de Contagem com vereadores deixando o cargo; confusão e revolta. A medida favorece muito o novo governo com entrada de caixa. Portal VozdoCLIENTE


Embora tenha compromisso assumido e ainda visível na página do PSDB, Alex de Freitas não se manifestou. Correligionários disseram que ele "não assumiu ainda e portanto não poderia interferir no processo". Pergunta: Porquê vereadores votariam medida polêmica as vésperas de sair?



Em uma manobra ousada e rápida, uma única sessão com 21 vereadores presentes,a Câmara Municipal de Contagem aprovou quase que por unanimidade a volta da cobrança do IPTU na cidade.

Curiosamente, a volta do imposto ocorre na gestão do mesmo partido que a tirou.

Veja vídeo: Bomba explode dentro da Câmara de Contagem

Boatos judiciários

Nos últimos dias estavam circulando nas redes sociais informações, segundo a nota, oriundas do Ministério Público de que a "abstenção da cobrança do IPTU" feria a lei da responsabilidade fiscal o que é, de fato, mentira.

O IPTU é decidido pela legislatura municipal e sancionada pelo prefeito. A responsabilidade fiscal não interfere em como o governo arrecada receita e sim em como mantém as contas ajustadas (não gastar mais do que recebe).

As pressas e sob pressão até de bomba.

Nem a presença popular e uma bomba estourando dentro da Câmara (ninguém se feriu, apenas um grande estrondo e sustos) interrompeu a sessão.

Eis como ficaram o voto dos vereadores:

Voto dos vereadores. Somente 5 votaram contra.

Questionamento: No fim do segundo tempo?

Imediatamente surgiu o questionamento: Porquê vereadores, boa parte derrotados, votariam ao fim do mandato a volta de um imposto que desagradaria sistematicamente a opinião pública?

Teorias de conspiração política e associações - o fato ocorre logo após o prefeito eleito, Alex de Freitas, nomear seu secretariado - já foram montadas.

O fato é que o próximo governo é quem sai ganhando com essa história com uma entrada vultuosa em caixa e o povo de Contagem com o imposto para pagar.


Toninho da F5, um dos candidatos a vereador derrotados este ano, escreveu em uma rede social:

Se a volta do IPTU ja for uma manobra suja da nova gestão, já se mostra o tamanho do novo erro de nossa Contagem...

Como já disse sou a favor da cobrança, mas que sua volta seja por meios claros e bem definidos, que a populaçao tenha direito a voz, que quem vá votar seja os vereadores da nova legislatura e assim poder assumir tanto os bônus quanto os ónus da votação...

É muito fácil para um vereador que esta saindo votar a favor não dará a nada pra ele, daqui a 4 anos tds já o esqueceram e ele até poderá voltar eleito pois nosso povo brasileiro tem memória curta... tudo passa mt rápido e logo esquecemos...
 

O atual prefeito, Carlin Moura, ainda não se manifestou oficialmente sobre a questão.

O projeto segue agora para que o executivo sancione ou proceda o veto. Se vetar, volta para a câmara.

Estamos aguardando a publicação oficial para avergiguar detalhes da aprovação já que, segundo alguns relatos, um aumento do imposto também fora incluído na pauta (ou já estava previsto).

Veto

Assim que recebeu a lei vinda da câmara, o prefeito Carlin Moura fez questão de divulgar vídeo vetando o projeto.
Assista: Carlin veta volta do IPTU

Derrubada

Mas ação do prefeito voltou 'a cãmara dos vereadores. Em uma sessão deliberada em 27/12, que durou menos de 30 minutos os vereadores derrubaram o veto do prefeito e assim reafirmaram a volta da cobrança de IPTU em Contagem.

Os detalhes serão publicados no diário do município em breve. A princípio está claro que imóveis com valor abaixo de R$ 150 mil continuam isentos.

Veja vídeo e reportagem do dia da votação da derrubada do veto. Povo quase quebra a porta da Câmara Municipal


Curta, comente e publique direto no Facebook

Mais lidas últimos 30 dias


Anúncios [7334 - desktop]