Novo CAD inicia atendimento na Regional Barreiro [Portal VozdoCLIENTE]

Novo CAD inicia atendimento na Regional Barreiro Prefeitura BH/MG





O Barreiro acaba de receber um novo reforço no enfrentamento das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti. O Centro de Atendimento a Pacientes com Dengue (CAD) Barreiro está funcionando desde o dia 01 de abril no Centro de Apoio Comunitário (CAC) Barreiro - Rua Pinheiro Chagas, 252, Bairro Santa Helena. O novo serviço é aberto à população com suspeita de dengue e funciona de 7h às 17h, todos os dias da semana.

O CAD Barreiro funciona nos mesmos moldes dos CADs de Venda Nova e Pampulha, e conta com equipe médica, equipe de enfermagem e técnicos de laboratório. Essa unidade tem capacidade para até 120 atendimentos diários. Inicialmente, o trabalho começou a ser realizado no Hospital Júlia Kubitschek, em parceria com a FHEMIG, e no dia 01 de abril foi transferido para o CAC Barreiro para melhor atendimento à população. A transferência de estrutura aconteceu para oferecer maior comodidade aos pacientes.

O objetivo dos CADs é agilizar os atendimentos de pacientes com sintomas de dengue e ampliar o acesso conforme desenvolvimento da doença na capital.

O CAD Barreiro conta com laboratório próprio exclusivo para exames de hemograma, que ficam prontos em 1 minuto, agilizando todo o processo de diagnóstico e conduta médica, de acordo com a gravidade do estado de saúde de cada paciente. Além disso, ela conta também com seis leitos de reposição volêmica. A equipe foi mantida, e, caso necessário, poderá ser ampliada.

No CAD Barreiro, o paciente passa por uma consulta de enfermagem, que estratifica os casos de dengue de acordo com o critério de gravidade. Os casos menos sintomáticos passam pela coleta de sangue, aguardam o resultado dos exames, e assim que o hemograma fica pronto, passam pelo médico e são encaminhados para o tratamento usual de dengue. Se o paciente estiver muito sintomático, é iniciada a hidratação e feita a coleta de sangue.

A coordenadora do CAD, Lúcia Sales, explica que os casos mais graves podem ser encaminhados, por meio de transporte da prefeitura, para a Unidade de Reposição Volêmica (URV) no Complexo do Odilon Behrens. A URV é destinada a pacientes referenciados, que não necessitam de internação hospitalar, mas de cuidados especiais com soroterapia intravenosa, de forma a evitar maiores complicações da doença. “Já os pacientes que apresentam exames com alteração limítrofe, podem, em alguns casos, ser orientados a retornar no dia seguinte ao CAD para acompanhamento do seu estado de saúde. Esse paciente não precisa passar pelo acolhimento novamente”. Lúcia explica que para cada três fichas de atendimento, são colocadas duas de retorno. Sendo assim, o paciente que retorna à unidade tem prioridade no atendimento.

A aposentada Ana Maria da Silva, de 61 anos, é moradora do Bairro Jatobá e foi atendida como prioridade, por estar em tratamento contra o câncer na tireoide, nos lábios e câncer de pele. “Como faço tratamento contra o câncer desde 2008, minha imunidade já é bastante baixa. E como agora estou com sintomas de dengue, fui atendida como prioridade. Cheguei, o atendimento foi rápido e fui muito bem atendida”, elogiou.

Ana Maria dá um recado para a população: “As pessoas precisam ter cautela, não deixar água parada, ter mais cuidado e amar mais a si próprio. Porque se a gente se amar mais, ajudamos também os nossos semelhantes.”



Veja a reportagem na fonte.



Curta, comente e publique direto no Facebook

Mais lidas últimos 30 dias


Anúncios [1854 - desktop]