Projeto de Aquicultura promove assessoria técnica [Portal VozdoCLIENTE]

Projeto de Aquicultura promove assessoria técnica Prefeitura Contagem/MG





O Projeto de Aquicultura de Contagem, desenvolvido em parceria com a  Fundação de Ensino de Contagem (Funec)e a Fundação de Estudo e Pesquisa em Medicina Veterinária e Zootécnia, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), segue compartilhando tecnologia e difundindo técnicas de produção de pescado com finalidade alimentícia.

Desde julho, especialistas da área e estudantes do curso de Aquicultura da UFMG prestam assessoria técnica aos membros da Cooperativa de Aquicultura de Minas Gerais (Coopamg) e aos produtores rurais ligados à Agricultura Familiar de Contagem. A assessoria é iniciada a partir da visita in loco à propriedade do potencial produtor e da realização de importantes procedimentos, como avaliação do ecossistema ( fauna e flora); análise do potencial hídrico (se há lago, poço ou nascente) e análise preliminar da qualidade da água (índices de oxigênio dissolvido, PH, turbidez, condutividade e outros).

Por meio deste trabalho, é possível avaliar as condições ambientais e verificar se há possibilidade de produzir peixes para consumo na área visitada.

Segundo o coordenador do Projeto de Aquicultura de Contagem, Barry Charles, a assessoria técnica fornece dados importantes para o sucesso do empreendimento."É elaborado um plano de produção no qual constará as características da água, solo e ecossistema, bem como, a melhor técnica de produção. Se poderá ser sistema de recirculação, tanque escavado ou tanque rede", explicou.

No plano, de acordo com Barry, também consta se a propriedade tem condições de produzir em larga ou pequena escala.

O terreno do senhor Aristo Neves de Araújo, no Morro Redondo, região da Vargem das Flores, foi o décimo quarto visitado pelo projeto. "Decidimos filiar à cooperativa devido ao potencial hídrico da propriedade. Vimos uma oportunidade de gerar renda e, ao mesmo tempo, aprender a cuidar melhor das nascentes desta região, pois elas contribuem para elevar o nível da água em uma das represas que abastecem Contagem, a Várzea das Flores", contou.

Para Aristo, o projeto traz como consequência direta a preservação ambiental, uma vez que as condições da água e do solo são, constantemente, monitoradas nos locais onde existe a criação de peixe para o consumo. "O projeto não incentiva apenas a comercialização do pescado. Ele nos dá uma visão completa do processo e nos ajuda a manter lagos, rios e cursos dágua preservados".

Além de Aristo, outros produtores serão beneficiados com pesquisas e conhecimentos compartilhados pelo projeto. A meta é que a consultoria técnica fornecida aos produtores cooperados, agricultores familiares e interessados na produção de pescado seja finalizada em abril de 2016.

Projeto de Aquicultura de Contagem

Além da assessoria técnica, o Projeto de Aquicultura de Contagem desenvolve cursos e atividades práticas, com o intuito de estimular a atividade de criação e reprodução de peixes em tanques ou viveiros. No primeiro semestre deste ano, foram inaugurados dois laboratórios de aquicultura, sendo um no Centro Municipal de Agricultura Urbana e Familiar, no modelo tanque escavado, e outros cinco na Escola de Formação do Corpo de Bombeiros - Campus II, no formato tanque-rede.

A expectativa é que os produtores consigam ofertar, futuramente, cerca de 30 toneladas de filé de tilápia, por ano. O produto será utilizado no cardápio das escolas e creches e, posteriormente, nos restaurantes populares e hospitais. O objetivo é melhorar a alimentação dos estudantes e, ao mesmo tempo, a renda dos produtores familiares da cidade.



Veja a reportagem na fonte.



Curta, comente e publique direto no Facebook

Mais lidas últimos 30 dias