Idealizada em BH, exposição “Sentidos do Nascer” é apresentada na Conferência Nacional de Saúde [Portal VozdoCLIENTE]

Idealizada em BH, exposição “Sentidos do Nascer” é apresentada na Conferência Nacional de Saúde Prefeitura BH/MG





Depois do sucesso de público em Belo Horizonte, no Rio de Janeiro e em Niterói, agora é a vez dos brasilienses apreciarem a exposição “Sentidos do Nascer”, projeto idealizado pela pediatra, epidemiologista e coordenadora da Comissão Perinatal e do Movimento BH pelo Parto Normal da Secretaria Municipal de Saúde (SMSA), Sônia Lansky, e pelo professor dos programas de pós-graduação em História e Educação da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Bernardo Jefferson de Oliveira.

A mostra pode ser conferida até sexta, dia 5, na Conferência Nacional de Saúde, na capital federal. Antes, passou pela cidade satélite de Ceilândia e pelo Conjunto Nacional, em Brasília. Mais de 20 mil pessoas já visitaram a exposição, que tem o objetivo de promover o parto normal e reduzir os nascimentos por cesarianas.

A instalação da mostra no Distrito Federal é uma expansão importante do projeto para um local estratégico do país, de acordo com Sônia Lansky. A exposição interativa e sensorial voltada para experimentar a gravidez, o nascimento e repensar o modelo de assistência ao parto no Brasil tem o patrocínio do Ministério da Saúde, que reconhece o projeto como uma iniciativa inovadora e eficiente de mobilização e promoção do parto normal. A ação também tem o apoio da Organização Pan-americana de Saúde (Opas).

Segundo a médica, é preciso repensar o modelo de assistência ao parto no Brasil, pois o país é campeão mundial de cesarianas, em sua maioria, desnecessárias. “A recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) é que 15% dos nascimentos ocorram por esse procedimento cirúrgico, mas em nosso país 56% dos bebês nascem dessa forma, aumentando os riscos e a taxa de prematuridade”, explica a pediatra.

A estrutura física da exposição é composta por três contêineres e cinco ambientes. A tecnologia empregada permite que os visitantes interajam com o espaço e as propostas de educação pelos sentidos. Em dos ambientes da exposição, os visitantes ouvirão sons de batimentos cardíacos e ruídos de água que reproduzem os barulhos internos que a criança ouve quando está no ventre da mãe. Os visitantes simularão a entrada no útero e passarão pelo canal de parto. Ao final, serão recebidos pela imagem de uma mulher de braços abertos.
 



Veja a reportagem na fonte.



Curta, comente e publique direto no Facebook

Mais lidas últimos 30 dias