Diretoria de escola manda garoto de sete anos pra casa por causa do corte de cabelo moicano [Portal VozdoCLIENTE]

Diretoria de escola manda garoto de sete anos pra casa por causa do corte de cabelo moicano Portal VozdoCLIENTE


O garoto usou moicano a vida toda e nunca foi problema, disse a mãe. (Foto: Fox13)



Depois de ser enviado para casa da escola na segunda-feira (14/Set) porque os diretores consideraram que seu corte de cabelo era uma violação da política da escola, Jakobe Sanden está agora de volta na escola - embora seus pais tenham a intenção de levar o assunto à diretoria da escola, protestando o porque a discriminação do corte moicano (esse tipo de corte de cabelo é tradicional do nativo americano).


Ao ver seu novo look moicano, o professor de Jakobe mandou-o para o escritório do diretor, estes ligaram para seus pais para virem buscá-lo para "fazer um corte de cabelo diferente", de acordo com relatórios.

Sua mãe, Teyawwna Sanden, disse a Fox 13 que ficou chocada ao receber um telefonema da Arrowhead Elementary School - afinal, seu filho usa moicano há anos, e seu cabelo nunca foi um problema em escolas anteriores.

"Ele acabou de se cortar o cabelo na sexta-feira, então eu não estava esperando por isso." disse ela.

De acordo com a Fox 13, Teyawwna Sanden e o marido são ligados a associação indígenas sendo ele, inclusive membro da tribo Seneca.

"Eles queriam que Kobe ficasse em casa até que mudasse o cabelo", disse o pai Gary Sanden: "Isso é quem ele é. Isso é parte de sua cultura."

Os funcionários da escola, no entanto, discordaram, alegando que seu corte de cabelo era uma distração para os outros alunos.

O código de Postura Escolar do Condado do Distrito Washington afirma que "Os alunos têm a responsabilidade de evitar aliciamento que causa uma distração ou interrupção, interrompendo decoro escola e afetando negativamente o processo educativo", mas a descrição deixou a Sra Sanden questionando o que exatamente uma "distração ou interrupção "implica. Ela disse a Fox 13 que a imprecisão da política deixou aberto à dúbia interpretação e permite que os administradores façam suas próprias exceções.

Quando a família Sanden recorreu da decisão, apelando para o superintendente de educação primária para afirmar que o moicano era uma parte de sua herança, eles foram indicados a obter cartas de líderes tribais para confirmar as raízes culturais do Jakobe.

A carta, obtida pelo The Salt Lake Tribune, foi escrito por líderes tribais da Nação Seneca de índios, com sede em Nova York, e afirma que o corte de cabelo é um costume tradicional para meninos do Seneca.

"É comum que os meninos Seneca a usar um Moicano, porque depois de anos de discriminação e opressão, eles estão orgulhosos de compartilhar quem eles são", escreveu William Canella (Seneca Nation).

A escola se defendeu posteriormente indicando que era apenas um "procedimento" para que as várias culturas e crenças diferentes possam coexistir na escola, comprovando por alguma documentação e que respeita cada cultura.

No entanto, o Sr. e Sra Sanden ficaram insatisfeitos com a situação, dizendo que "o caso poderia ter sido tratado de 10 maneiras diferentes e que, mesmo que não tenha havido intenção, foi sentido como uma forma de discriminação" .

Enquanto o assunto em questão foi resolvida por enquanto, e Jakobe está de volta na escola, Sra Sanden disse Fox 13 que ela pretende levar a questão ao conselho escolar e apelo para uma mudança na política.

Tem algo a acrescentar a esta história? Compartilhe nos comentários.

(Divulgado inicialmente pelo site Fox13Now)


Curta, comente e publique direto no Facebook

Mais lidas últimos 30 dias