Caso do diretor e atletas que acusaram juiz de furto em Atlético-MG X Chapecoense tem absolvição total do Galo [Portal VozdoCLIENTE]

Caso do diretor e atletas que acusaram juiz de furto em Atlético-MG X Chapecoense tem absolvição total do Galo STJD


Para o SuperesportesMG, o diretor Eduardo Maluf disparou



O juiz não pode ser amador, tinha disparado o diretor do Atlético em entrevista. Já Rafael teria dito: Fizeram com a gente foi um FURTO! Na ocasião o Galo perdeu por 2x1 em gol irregular.

Absolvição

O Jurídico do Atlético/MG conquistou uma vitória importante no Superior Tribunal de Justiça Desportiva. Diante da Quinta Comissão Disciplinar, o clube mineiro teve quatro atletas e o Diretor de Futebol, Eduardo Maluf, julgados e absolvidos de infrações na partida contra a Chapecoense. Com o resultado, Léo Silva, Marcos Rocha, Rafael Carioca, Josué e Maluf estão livres. Proferida em primeira instância, a decisão cabe recurso.

Na partida realizada em 15 de agosto, em Chapecó, o árbitro Marcos Andre Gomes da Penha expulsou Leonardo Silva ainda no primeiro tempo após o jogador derrubar Ananias e “impedir uma chance clara e manifesta de gol”. A expulsão de forma direta gerou protestos dos jogadores do clube mineiro.

Após o término da partida, Marcos Rocha, Rafael, Josué e o Diretor de Futebol, Eduardo Maluf, concederam entrevistas onde criticaram a atuação da arbitragem.

Para o Subprocurador Alessandro Kishino, exceto Leonardo Silva , a base da denúncia dos demais foi a reclamação desrespeitosa contra a arbitragem. Kishino destacou ainda que as reclamações feitas após a partida contra a imprensa e que existe , inclusive, uma notícia de infração da ANAF contra o atleta Rafael Carioca que insinuou que essa arbitragem praticou furto. A Procuradoria pediu a condenação de todos os denunciados.

Em defesa do time mineiro, o advogado João Avellar apresentou um documento oficial da ouvidoria da arbitragem da CBF reconhecendo o equívoco na expulsão de Léo Silva. Para a defesa, a expulsão equivocada desestabilizou a equipe. Ainda segundo a defesa, os denunciados reclamaram de forma respeitosa sem ofender quem quer que seja.

“Uma expulsão equivocada pelo terceiro jogo consecutivo. Esses equívocos, atrapalham a emoção dos atletas, atrapalham os torcedores e atrapalha o futebol”, concluiu Avellar

Colhidos os votos, os Auditores José Nascimento, Márcio Amaral e Vitor Butruce votaram para absolver todos os denunciados. Já o Auditor Matheus Gregorini e o presidente José Perdiz divergiram para desclassificar a conduta de Rafael Carioca de ofensa para desrespeito e aplicar uma partida de suspensão ao atleta.



Veja a reportagem na fonte.



Curta, comente e publique direto no Facebook

Mais lidas últimos 30 dias