Criança morre de simples infecção no ouvido após pais recusarem tratamento. [Portal VozdoCLIENTE]

Criança morre de simples infecção no ouvido após pais recusarem tratamento. Portal R7





Um casal da Pensilvânia, nos EUA, enfrenta acusações de homicídio culposo após sua filha de apenas um ano ter morrido, vítima de uma infecção que poderia ter sido facilmente tratada com antibióticos.

Ebed Delozier, de 29 anos, e Christine Delozier, de 34, foram indiciados ​​na semana passada com acusações de homicídio involuntário e por colocar em perigo o bem-estar de crianças, após a morte de sua filha, Hope Delozier.

Hope morreu em março, por conta de infecção da bactéria Streptococcus do grupo A, que as autoridades de saúde acreditam ter se originado em sua orelha esquerda. Christine disse a jornalistas, em março, que Hope nunca havia ido a um médico ou recebeu vacinações, pois ela e Ebed não acreditavam nos métodos de tratamento da medicina moderna, apontam relatórios da WBNG.

Eles tratavam a criança com remédios homeopáticos e fitoterápicos. O casal também afirmou não ter dinheiro para cobrir as despesas médicas.

Christine disse que na noite de 23 de março ela notou uma respiração ofegante, em Hope, e realizou o procedimento de Ressuscitação Cárdio Pulmonar (RCP) na criança por cerca de 30 minutos, antes de levá-la ao hospital local. Os enfermeiros disseram que ela precisava de ajuda.

A enfermeira do hospital disse em um relatório que os pais de Hope deixaram claro que eram contra os antibióticos e outros produtos químicos associados com a medicina moderna. Uma enfermeira da sala de emergência disse que a criança não estava respirando quando ela chegou ao hospital, e como a equipe trabalhou para ressuscitá-la, Christine ficou irritada e disse frases como: ‘você está fazendo buracos nela’ e 'você está colocando produtos químicos nela’.”

A criança, mais tarde, foi declarada morta por um médico de emergência. Uma autópsia revelou que a criança morreu por um abscesso e edema cerebral, causados pela bactéria. Um patologista forense também determinou que Hope estava desidratada e desnutrida. O patologista adicionou que a infecção poderia ter sido tratada com um antibiótico simples.

A morte da criança foi considerada um homicídio. Ebed disse aos investigadores que a criança parecia estar melhorando, e que se ele e Christine soubessem da gravidade de sua condição, teriam procurado ajuda médica mais cedo.

Nicole Alexander-Scott, diretora de saúde de Rhode Island, disse que a condição de Hope era uma complicação rara de uma bactéria comum. Ele descreveu a situação como um "caso anormal", dizendo que as bactérias avançaram mais rapidamente do que deveria, mas mesmo assim poderiam ter sido exterminadas com antibióticos.



Veja a reportagem na fonte.



Curta, comente e publique direto no Facebook

Mais lidas últimos 30 dias


Anúncios [1520 - desktop]