Cão ´pede ajuda´ e salva idosa de 76 anos perdida há dois dias em mata [Portal VozdoCLIENTE]

Cão ´pede ajuda´ e salva idosa de 76 anos perdida há dois dias em mata Super Notícia


Mulher foi achada desacordada, com hipotermia e desidratada, no interior de uma mata a cerca de 4 km de sua casa



A aposentada Dalva Moreira da Silva, de 76 anos, adotou o cãozinho Pitoco há pouco tempo, mas o animal já provou que merece o crédito de "melhor amigo do homem". A idosa ficou desaparecida desde o último sábado (7) e as buscas começaram pr volta das 14h40 de domingo, mas ela só foi encontrada no início da noite desta segunda-feira (9) após funcionários de uma fazenda estranharem os latidos do cão, que entrava e saía de uma mata a cerca de 4 quilômetros da casa de sua dona, em Pontinha, na zona rural de Paraopeba, na região Central do Estado.

Como conta o auxiliar de serviços gerais Julio César Moreira, 32, filho de Dalva, o cachorro ficou o tempo todo ao lado da aposentada, e só a deixou para buscar ajuda. "Ela estava perto de uma fazenda vizinha e Pitoco conseguiu chegar até a sede. Lá, trabalha um amigo meu, que, depois de muita insistência do bichinho, decidiu segui-lo. A uns 100 metros da casa ele achou a minha mãe”, contou o filho, todo orgulhoso do pequeno Pitoco.

A essa altura, toda a família já havia se mobilizado em uma força-tarefa para procurar Dalva. Além de chamar socorro, o cãozinho também protegeu a aposentada, como lembra outro filho da idosa. Segundo o pedreiro Tarciso Moreira, 42, ele aqueceu a mulher enquanto caía um temporal, e foi o que a manteve viva. "Quando a encontraram havia uma roda bois em volta dela. Ali, o Pitoco permaneceu, sempre afastando os outros animais. Ela poderia ter sido pisoteada. Para a gente hoje ele é um herói".

A nora da vítima, Ivonete Santos Moreira, de 46 anos, conta que ficou sabendo do desaparecimento ainda no sábado. "A gente sabia que ela não estava morta, mas apenas desaparecida. Sentíamos isso o tempo todo. Mas infelizmente ela não está legal, está no Hospital de Sete Lagoas ainda em tratamento, mas não chegou a acordar ainda", contou a familiar.

De acordo com a mulher, não faz muito tempo que Dalva pegou o cachorro. "Mas para todo canto que ela ia o Pitoco ia acompanhando. Acreditamos que ela deve ter entrado na mata com ele e não conseguiu sair. O problema foi que choveu muito e forte nestes dias que ela esteve desaparecida", lembrou a nora.

A parente ainda diz que todos estão muito impressionados com a atitude do cachorro, que ficava latindo tentando chamar atenção de alguém. "Diz que ele estava chamando mesmo, uma coisa impressionante. O triste é que minha sogra tinha acabado de fazer aniversário e agora está nessa situação terrível. Se Deus quiser ela vai sair desta", espera.

Buscas

De acordo com filho da mulher, o pedreiro Tarciso Moreira, 42, mais de cem pessoas realizaram as buscas. O objetivo principal era avistar o cachorro, que todos sabiam que estava com a dona.

Moreira afirmou que não teve ajuda da polícia. “Nem depois das 24 horas de seu desaparecimento eles vieram aqui. Apenas nas buscas em um córrego aqui perto é que vieram os bombeiros. O resto foi a gente mesmo”, relatou.

Internação

Encontrada inconsciente em uma pastagem próxima, Dalva estava com hipotermia e sinais de desidratação. Ela foi socorrida e está na Unidade de Tratamento intensivo (UTI) do Hospital Municipal de Sete Lagoas, na mesma região. Ela teve um Acidente Vascular Cerebral (AVC) e um quadro de hipotermia, mas segundo os filhos sua saúde é estável.

Já em casa, Pitoco só recebe mimos e visitas de toda a comunidade. Na tarde desta terça-feira, vários vizinhos chegavam na casa da família para saber notícias da aposentada e também para parabenizar o pequeno herói, que parecia sentir falta de algo e esperar o retorno de sua dona.

Cadelinha Pitucha

Em dezembro de 2014, um caso semelhante ganhou repercussão na mídia, desta vez em Ibirité, na região metropolitana de Belo Horizonte. A cadela Pitucha, que tinha fama de chata por seguir os donos até mesmo dentro de supermercados e casas, acabou se tornando heroína do bairro Canoas após o pequeno Miguel Marques, de 3 anos, fugir de casa.

A criança desapareceu por mais de três horas e só foi encontrado porque a cachorra seguiu o pequeno dono por mais de 2 km e guiou o mecânico de 54 anos que os encontrou até a casa de seus pais. Veja a reportagem completa clicando AQUI.



Veja a reportagem na fonte.



Curta, comente e publique direto no Facebook

Mais lidas últimos 30 dias


Anúncios [2227 - desktop]



Vídeos do Portal

Promoções







Mais ofertas!