América mineiro é julgado e perde 6 pontos (não mais 21) e sai da lanterna da Série B [Portal VozdoCLIENTE]

América mineiro é julgado e perde 6 pontos (não mais 21) e sai da lanterna da Série B Portal VozdoCLIENTE


Americanos tem motivo para comemorar. O time não mais corre o risco de ser rebaixado.



A angústia que vem passado o time do América em Minas (AMG) recebeu hoje (02/10) um alívio. A volta parcial dos pontos obtidos na fase inicial do campeonato.

Punido em primeira instância com a perda de 21 pontos, clube mineiro conseguiu modificar decisão para perda de seis pontos em última instância. Multa de R$ 20 mil é mantida.

Contratado pelo clube para o caso, o advogado Mário Bittencourt sustentou que não houve infração por parte do América/MG.

"Enquanto acompanhava o caso pela imprensa, achava que o América tinha cometido a infração. Mas só até entrar dentro do processo. A CBF mudou a redação do artigo 49 que causou uma confusão grande em todos. Pelo que diz o regulamento, é possível que um atleta jogo por dois clubes a Copa do Brasil, por dois clubes no Brasileirão, por dois clubes no Carioca. Não houve alteração no artigo 5.4 da Fifa. Por que a CBF alterou o 49? Li, reli, e concluí que o regulamento está sendo cumprido pelo América", disse o advogado.

Já o advogado do Joinville, clube responsável por emitir a Notícia de Infração contra a suposta irregularidade do América/MG, rebateu o que foi dito por Bittencourt e ressaltou que a norma da Fifa é a que deve prevalecer.

"A norma da Fifa não é conflitante. E ela é clara em dizer que a CBF pode legislar sobre a matéria. E não há conflito entre elas. É muito claro que a CBF proibiu que um jogador atuasse por mais de dois clubes em campeonatos organizados por ela. Dizer que o jogador pode jogar em dois clubes na Copa do Brasil, dois clubes no Brasileiro? É justamente isso que a Fifa não quer. São 21 pontos, mas não tem como fugir disso", defendeu Roberto Pugliese.

Feitas as defesas, o relator do processo, auditor Miguel Ângelo Cançado justificou. "A conjugação das duas normas é o correto. O atleta não poderia atuar mesmo por três equipes. Mas há de se aplicar que, para efeito de transferência e não punição disciplinar, só deve contar se o atleta participou da partida. O clube errou, é inegável. Mas também não se conduziu bem a CBF, deixando de apontar a irregularidade", disse o auditor que votou para aplicar a perda de seis pontos ao clube, sendo três pela partida e mais três pela vitória conquistada e manter a multa de R$ 20 mil. Colhidos os votos, os demais auditores acompanharam e transformaram o resultado unânime.

Com a volta parcial dos pontos, o Coelho passa a ser 10º colocado, com 34 pontos, ficando a 13 pontos do último colocado no G4 (o vasco).


Curta, comente e publique direto no Facebook

Mais lidas últimos 30 dias